Na última semana, incêndios castigaram a Ilha da Madeira em Portugal. Os incêndios começaram em São Roque, em Funchal, e alastraram-se para outras áreas, mais de duzentos imóveis foram destruídos ou atingidos e há vários outros danos materiais. O calor e os fortes ventos registrados contribuíram para o alastramento dos focos de incêndio. Na principal cidade da Ilha da Madeira, a situação foi gravíssima, com três mortes já registradas, dois hospitais evacuados e mais de mil pessoas deslocadas.

 

A cidade de Funchal celebrou, nesta segunda-feira (15/08), a festa de Nossa Senhora  do Monte, padroeira da diocese madeirense, sem nenhuma “animação exterior” como sinal de luto pelas vítimas dos recentes incêndios na ilha.

O Papa Francisco mostrou-se “consternado” com os incêndios que atingiram Funchal, provocando vítimas mortais e elevados danos materiais na capital da Madeira. Por isso, enviou uma mensagem transmitida na festa de Nossa Senhora do Monte, padroeira de Funchal. O texto foi enviado pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, em nome do Papa, ao Bispo de Funchal, Dom António Carrilho.

No telegrama, o Papa se diz “consternado pela triste notícia dos terríveis incêndios na ilha da Madeira” e pede ao bispo para “que transmita às famílias das vítimas as suas condolências e sua participação na dor de todos os enlutados, bem como a sua solidariedade e proximidade espiritual aos que perderam os seus lares”.

Francisco pede “conforto e restabelecimento para os feridos” com votos de “coragem e consolação da esperança cristã” para todos os que foram atingidos pela “tragédia”, com uma recordação especial e sua bênção a “todos aqueles que trabalham para combater os incêndios”.

“As graves consequências dos incêndios que nestes últimos dias assolaram a nossa ilha, sobretudo a cidade de Funchal, provocando vítimas mortais, vários feridos e elevadas perdas materiais, impõem um momento de recolhimento e oração em sinal de comunhão com todas as pessoas atingidas”, refere o pároco de Nossa Senhora do Monte, Pe. Giselo Andrade, em comunicado.

A nota, divulgada pela página da Diocese de Funchal na internet, justifica assim a decisão de “cancelar a animação exterior tradicional da festa do Monte”, mantendo as celebrações litúrgicas.

Com informações da Rádio Vaticano