Cidade do Vaticano

Encerra-se na quarta-feira (11/04) a jornada de reflexão e catequeses proposta pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização aos missionários da misericórdia.

Durante cinco dias, mais de 550 sacerdotes, dos cinco continentes, ouviram catequeses, ofereceram testemunhos sobre as atividades pastorais desenvolvidas nas próprias dioceses e puderam celebrar o sacramento da reconciliação, coração deste ministério especial confiado pelo Papa. 

O missionário da misericórdia é um sacerdote (bispo emérito ou padre) que é nomeado pelo Pontífice para ser promotor da Misericórdia de Deus por alguns meios que lhe são específicos: pregar em missões populares sobre o tema da misericórdia e incentivar a busca pelo Sacramento da Reconciliação. No mundo, são cerca de 900. Estes sacerdotes têm o poder de perdoar pecados que são reservados ao Papa.

E que são cinco, de acordo com direito canônico: a profanação das espécies consagradas (Eucaristia), a violência física contra o Papa, a ordenação episcopal sem o mandato pontifício, a tentativa da absolvição do cúmplice no pecado contra o sexto mandamento e a violação direta do segredo de confissão.

O Padre Raphael Silva Maciel, da Arquidiocese de Fortaleza, participou desta jornada e logo após a audiência com o Santo Padre deu o seguinte testemunho ao Vatican News: